Vida Sustentável

Vida Sustentável

Vida Sustentável RSS Feed
 
 
 
 

Plantio experimental de batatas orgânicas dá bons resultados

Propriedade de agricultor familiar alcançou a média de de 4,8 quilos do produto por metro quadrado. A média no país é de 3,5 quilos

Na propriedade do agricultor familiar Robson Natal Volpi Guimarães, alcançou a média de de 4,8 quilos do produto por metro quadrado. A média no país é de 3,5 quilos, segundo o coordenador regional de Agroecologia da Emater-MG, Fernando Tinoco
Belo Horizonte – O cultivo de batatas, com técnicas de agricultura orgânica, superou a produtividade média do tubérculo, em nível nacional, no município de Inhaúma, região Central do Estado. A comparação vale para o plantio de batata, nos moldes convencionais. Uma unidade de observação de produtividade, assistida e monitorada pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), na propriedade do agricultor familiar Robson Natal Volpi Guimarães, alcançou a média de de 4,8 quilos do produto por metro quadrado. A média no país é de 3,5 quilos, segundo o coordenador regional de Agroecologia da Emater-MG, Fernando Tinoco.

A lavoura experimental, considerada um sucesso, por extensionistas e produtores locais, foi montada em um terreno de 400 metros quadrados. Agora em outra área de 200 metros quadrados, na mesma localidade, mais um batatal aguarda o momento certo da colheita. “Devemos demorar mais um mês pra efetuar esta nova colheita. Vai depender das chuvas. O ciclo da planta pode atrasar ou adiantar, conforme a estação”, informa o técnico em Agropecuária, Carlos Renato Correa Pontello, do escritório local da Emater-MG. Pontello garante que a primeira fase do teste apresentou “resultado bom, sem incidências de doenças”, mas que é preciso continuar observando a produção de batatas, em todas as épocas do ano.

O ciclo da batateira (período compreendido entre o plantio e a colheita) varia entre 110 e 120 dias, de acordo o coordenador regional de Agroecologia da Emater-MG. Para Fernando Tinoco, o resultado da iniciativa, acompanhada pelo escritório local da empresa e divulgada em recente dia de campo, pode ser atribuída aos cuidados dispensados na lavoura. “Ofertamos boa nutrição orgânica e mineral e fizemos o controle preventivo de doenças, por meio de pulverizações periódicas, feitas com caldas alternativas”, relata.

Tinoco revela ainda que, a tecnologia base aplicada à produção de batatas sem agrotóxicos, no município da Regional Sete Lagoas, incluiu a utilização de cama de frango (esterco), termofosfato magnesiano, micronutrientes e urina de vaca. Segundo ele, a mesma tecnologia está sendo aplicada na plantação de batata do terreno de 200 metros quadrados, para observar o comportamento da cultura nos diversos períodos do ano.

Alimentação escolar e feiras livres

O município de Inhaúma, de acordo informações do extensionista Carlos Renato, não tem tradição no cultivo de batatas, sendo essas as primeiras experiências do tipo. “No lugar ainda predominam as atividades econômicas relativas a culturas de subsistência, produção caseira de alimentos e avicultura”, conta. Por isso a atual aposta na bataticultura orgânica está sendo motivada pela vontade de buscar um novo mercado para os produtos da agricultura familiar, a partir do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PANAE), implantado no município em 2010, e pelo comércio deles nas feiras livres.

O PNAE é portanto um incentivador do cultivo de novas culturas no meio rural, visando alternativas de renda, pois determina que, 30% dos recursos destinados à alimentação escolar sejam gastos na aquisição de produtos produzidos pelo segmento da agricultura familiar. O coordenador regional Fernando Tinoco confirma o fato ao afirmar que, muitos produtores de municípios da Regional Sete Lagoas se interessaram pelo plantio de batata SAT (Sem Agrotóxicos), após um dia de campo sobre o tema, realizado em Inhaúma, no mês de agosto.

“A comercialização para o PNAE é um incentivador, por isso em abril de 2012 vamos instalar novas unidades de observação da cultura de batata sem agrotóxicos, em Jaboticatubas, Florestal, Mateus Leme e Maravilhas”, informa. Para o coordenador da Emater-MG, a empresa trabalha sob a perspectiva de estimular a redução de custo da produção, proporcionar segurança alimentar, ambiental e de trabalho para os produtores da agricultura familiar. A batata que está sendo avaliada em Inhaúma é a da variedade BRS ANA, do Sul do País. O tipo é indicado especialmente para fritura, segundo informações de especialistas.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Emater-MG.

Comente!!

Compre aqui

Indicamos

Receba nossas informações:


Nome:



Email: