Vida Sustentável

Vida Sustentável

Vida Sustentável RSS Feed
 
 
 
 

Jornalismo ambiental é o foco do Congresso da Fenaj que ocorre nesta semana no Acre

Jornalistas de todo o Brasil estarão reunidos em Rio Branco (AC), de 07 a 10 de novembro, para participarem do 35º Congresso Nacional dos Jornalistas (CNJ). O tema central do evento é “Os desafios do Jornalismo e sua contribuição para o desenvolvimento sustentável”. O Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul (NEJ/RS) estará representado pelos jornalistas Ilza Maria Tourinho Girardi e Juarez Tosi. Ilza Girardi vai participar da roda de conversas  “o jornalismo ambiental na academia e a formação profissional”, juntamente com Patrícia Kolling, professora da Universidade Federal de Mato Grosso, e Arthur Leite, assessor do Ministério Público do Estado do Acre. A  mediação será da diretora da Fenaj, Sheila Faro. Já o jornalista e editor da EcoAgência Juarez Tosi, divide com o representante da Rede Brasileira de Informação Ambiental /Rebia- RJ, Vilmar Berna, o debate na roda de conversa “O jornalismo ambiental e as diversidades ambientais no Brasil. A mediação será do diretor da Fenaj José Torves.

Além de intensa programação voltada para a temática proposta, serão definidos posicionamentos e estratégias das lutas centrais dos jornalistas brasileiros para os próximos dois anos. Entre elas a retomada da exigência do diploma para o exercício da profissão, a federalização de crimes contra jornalistas e a instituição de um piso salarial nacional para a categoria.

O V Encontro Nacional de Jornalistas de Imagem antecede a abertura do 35º CNJ, realizado em 7 de novembro, a partir das 10h, com a abertura da Mostra Nacional de Cartuns e Fotografias sobre Meio Ambiente, organizada pelo Departamento de Imagem da FENAJ com contribuições de profissionais de todos os estados da federação. Os dois eventos acontecem na sede da Federação do Comércio do Acre – Condomínio Fecomércio (Av. Getúlio Vargas – 2472 – Bairro Bosque). Com a conclusão dos eventos, a exposição ficará aberta ao público no Memorial dos Autonomistas, no Centro de Rio Branco. O painel do V ENJI abordará o tema ” Imagem como Fonte de Informação na Era Digital”. Em plenária posterior à apresentação, os delegados definirão os caminhos para uma maior organização deste segmento da categoria, bem como suas lutas prioritárias.

A expectativa é a presença de 200 participantes, entre delegados, observadores e convidados. A programação conta com cinco painéis, seis oficinas e plenárias diárias, além de atividades culturais e rodas de conversas. Nos painéis, que ocorrerão no período das manhãs, o objetivo é aprofundar o debate sobre as políticas públicas na área ambiental, discutindo temas como sustentabilidade e desenvolvimento da Amazônia, com a participação do senador acreano Jorge Viana e a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, também acreana. Já as oficinas visam proporcionar atividades de atualização profissional e as rodas de conversas farão debates mais descontraídos sobre temas da atualidade relacionados à temática dos eventos. Um exemplo é o debate a respeito do Jornalismo Ambiental nas redações e o compromisso dos profissionais.

Discussões mais intensas sobre as lutas centrais dos jornalistas brasileiros serão travadas em três plenárias. Nelas os delegados do 35º CNJ se posicionarão sobre 17 eixos temáticos, abordados em teses apresentados em teses Entre eles a conjuntura nacional, democratização da comunicação, jornalismo e meio ambiente, formação acadêmica, regulamentação da profissão e Conselho Federal dos Jornalistas, piso salarial e condições de trabalho, saúde e segurança dos jornalistas, direito autoral e ética profissional. Entre teses e emendas apresentadas pela diretoria da FENAJ e Sindicatos de Jornalistas, serão submetidas à deliberação mais de 50 propostas.

Em comunicado aos Sindicatos dos Jornalistas, a Comissão Organizadora do 35º CNJ encaminhou orientações estruturais e organizativas como a confirmação das delegações, hospedagem e esclarecimento sobre o fuso horário. Com o Horário de Verão, Rio Branco está duas horas a menos em relação ao horário de Brasília.

Por Redação da EcoAgência com informações da FENAJ.

 

Comente!!

Indicamos

Receba nossas informações:

Nome:



Email: