Vida Sustentável

Vida Sustentável

Vida Sustentável RSS Feed
 
 
 
 

Orgânicos ganha espaço no mercado internacional

Das prateleiras dos supermercados às cozinhas escolares, os orgânicos estão cada vez mais presentes nas mesas brasileiras, nos últimos anos. Atualmente o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) apoia a execução de 46 projetos que incentivam a produção agroecológica e orgânica, totalizando investimento de R$ 39 milhões e beneficiando em torno de 88 mil agricultores familiares.  Temas como a qualificação técnica de jovens agricultores familiares e a formação inicial e continuada de jovens, adultos e de agentes de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) estão entre as prioridades do ministério que pretende, até 2015, ter mais de 100 mil técnicos e agricultores preparados para trabalhar com esse mercado.

A Coopaflora, cooperativa que atua apenas com alimentos orgânicos, estabelecida no município de Turvo, no Paraná, aproveitou os benefícios das ações do ministério. Com uma produção inicial de 14 toneladas, em 2006, a Coopaflora fechou 2011 com 92 toneladas de produtos orgânicos. A partir de então, o grupo começou a vender para mercados estrangeiros, além do Brasil inteiro. Hoje seus produtos – condimentos, chás, ervas aromáticas e erva-mate – podem ser encontrados na Europa, em países como França, Suíça e Alemanha. Para o ano a meta são os EUA.

Para a cooperativa, nesta caminhada, o apoio do MDA foi essencial. O acesso aos programas de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e de Aquisição de Alimentos (PAA), bem como técnicas de cultivo e manejo oferecidas pela Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater),  asseguraram a estruturação dos cooperados.

O agente de mercado e também representante da Coopaflora, Henrique Vinicius Eurich, conta que o cuidado com a preservação do meio ambiente sempre foi uma necessidade. Produtor de plantas medicinais há mais de 20 anos, um dia percebeu que para se conservar as áreas de floresta nativa situadas no interior de pequenas propriedades rurais só havia um caminho: aquele em que o produtor pudesse tirar seu sustento a partir da mata, preservando-a para que se tornasse uma fonte de renda permanente. Em sua opinião, “as pessoas buscam cada vez mais viver em um mundo sustentável.”

Espaço para crescer
Embora praticamente todas as regiões do País tenham uma produção orgânica ou agroecológica, “o Sul e o Sudeste encontram-se mais adiantados quando o assunto é organização para os mercados”, comenta Arnoldo Campos, diretor do Departamento de Geração de Renda e Agregação de Valor do MDA. Para ele, “temos um espaço fantástico para desenvolver e a Agricultura Familiar tem aí a grande oportunidade para se inserir e consolidar como produtora, processadora e comercializadora neste segmento de mercado”. Segundo registro foi feito pelo Censo Agropecuário 2006, divulgado em 2009, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 80% da produção orgânica do País são oriundas dos agricultores familiares.

O desenvolvimento do setor mostra-se crucial para o crescimento da produção agrícola brasileira, oferecendo ótimas oportunidades de negócio para os agricultores familiares.  O mercado de produtos orgânicos movimenta hoje, no Brasil, aproximadamente, meio bilhão de reais e cresce entre 15% e 20% ao ano. Os supermercados, por exemplo, tem aumentado à oferta de produtos orgânicos para atender seus clientes, cada vez mais exigentes no que diz respeito à compra de alimentos social e ecologicamente corretos. O mesmo movimento pode ser percebido em restaurantes também.

Orgânicos para o futuro
Para incentivar a produção sustentável o governo federal, no âmbito do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), oferece vantagens aos agricultores que optarem por usar o sistema agroecológico ou orgânico: o preço pago por produtos com estas características é 30% mais alto do que o valor oferecido aos convencionais. Já o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), executado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, determina que 30% do valor de repasse recebido pela escola seja destinado à compra de produtos oriundos da agricultura familiar, preferencialmente orgânicos. O ministério lançou também a campanha Brasil Orgânico e Sustentável cuja finalidade é incentivar a oferta e o consumo de produtos da agricultura familiar com a marca da sociobiodiversidade.

Paraná dá o exemplo
De acordo com os dados da Secretaria de Estadual de Educação do Paraná, o estado foi o primeiro a atingir a meta mínima de utilização da verba destinada à alimentação escolar que hoje alcança 87% das escolas estaduais. No ano passado, 140 escolas de 24 municípios receberam alimentos orgânicos. Em 2012, esse número subiu para 414 escolas em 68 municípios. Em termos quantitativos, foi um salto de nove para 660 toneladas. A tendência é que aumente ainda mais.

Fonte: MDA.

Comente!!

Indicamos

Receba nossas informações:

Nome:



Email: