Vida Sustentável

Vida Sustentável

Vida Sustentável RSS Feed
 
 
 
 

Na luta contra transgênicos sementes crioulas do MPA são distribuídas em paróquia no sul de Santa Catarina

Sensibilizado com os impactos dos transgênicos nos ecossitemas e os seus perigos para a saúde da sociedade  o Padre  Aluísio Jocken da paróquia católica São joão Batista no municipio de Grão Pará – SC iniciou o ano de 2013 distribuindo sementes crioulas produzidas por famílias camponesas catarinenses do Movimento dos Pequenos Agricultores  . ” A pequena agricultura está abandonada por falta de apoio e as sementes transgênicas vem para debilitar mais o povo ” argumenta o Padre.

Cada vez mais as sementes transgênicas e o modelo de produção do agronegócio vem ameaçando a qualidade de vida das pessoas e a biodiversidade do planeta, no Brasil as sementes geneticamente modificadas vem ganhando muito terreno impulsionadas pelo mercado de grãos como a soja e o milho, e um significativo apoio do governo chegando assim a alta de 19,3% no uso de sementes transgênicas, segundo o Serviço Internacional para a Aquisição de Aplicações Agro-Biotecnológicas (ISAAA).

Alcançando assim o posto de segundo maior usuário de biotecnologia do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. A maior parte de área plantada é com soja (20,6 milhões de hectares – 68%), seguida pelo milho (9,1 milhões de hectares – 30%) e pelo algodão (600 mil hectares – 2%).

A situação problema que alarmou  Pe. Aloísio  para o grande problema da transgenia foi uma  pesquisa realizada por um laboratório de uma universidade francesa e divulgada em 19 de setembro de 2012, que obteve como resultado o alarmante fato de que os alimentos transgênicos causariam até três vezes mais câncer do que os alimentos cultivados com agrotóxicos. essa equipe  durante dois anos alimentou 200 camundongos em três grupos separados, um com milho transgênico, um com herbicida e o terceiro grupo apenas com milho comum tratado sem herbicida. (veja aqui).

Assim, através de contatos com o MPA na região de curitibanos também em santa cataria a paróquia conseguiu 62 sacas de sementes crioluas de milho e 10 sacas de feijão totalizando 1440 kg de sementes que estão sendo distribuídas na casa paroquial para os camponeses e camponesas interessados em plantar as variedades crioulas.

Aluísio  que tambem é coordenador da CPT no estado ,relata que a partir do momento que os agricultores começaram a descobrir esses efeitos dos transgênicos, pode se iniciar um dialogo diferente que esta tendo seus resultados na distribuição das sementes “quando as pessoas descobrem que os transgênicos são tão perigosos começam a abrir mais os olhos para a realidade, e estão começando a ver nessas sementes do MPA uma saída… da para notar a felicidade do povo, o brilho nos olhos quando recebem as sementes , é um presente que recebem com todo o carinho” afirma Aluisio.

Ainda existe uma grande procura pelas sementes nas região já que a quantidade inicial não é suficiente para para todos os agricultores do município. Aluísio relata que cada pessoa que pegou as sementes ficou com a tarefa de reproduzir para passar a outras famílias . “Trata-se de um trabalho coletivo para o bem de todos. Temos de dar ao povo alimento saudável para que possa comer sem medo. Se os agricultores começarem a estocar sementes para as próximas safras, não ficarão à mercê das  casa agropecuárias e empresas que vendem o transgênico”, manifesta o padre.

A luta continua
Além disso Aluisio Jocken, analisa  existem outros desafios para o campesinato na região ” fazendo um levantamento analisamos que existe um número muito maior de homens do que de mulheres no campo, notamos um  grande êxodo rural… sem a pequena agricultura não existe produção de alimento e com o transgênico tão pouco, temos que fortalecer essa idéia das sementes crioulas e da organização das famílias… queremos ampliar essa parceria com o MPA existe uma demanda grande aqui de sementes e de povo para organizar ” relata o Padre.

Até o momento as sementes de feijão já acabaram e restam apenas 40 kg de milho para ser distribuído, o planejamento de Pe. Aluisio é massificar esse trabalho em todo município e região, ” nesse ano de 2013 quero fortalecer essa idéia vamos criar um cadastro e levantar todas as famílias que querem plantar sementes crioulas, nossa luta é para favorecer o povo,  temos que adotar uma posição mais firme em prol das pessoas na luta pela vida” afirma-o

Fonte: Comunicação MPA.

Comente!!

Compre aqui

Indicamos

Receba nossas informações:


Nome:



Email: