Vida Sustentável

Vida Sustentável

Vida Sustentável RSS Feed
 
 
 
 

Especialista dá dicas para prevenir o câncer

O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) e a União Internacional para o Controle do Câncer (UICC) estão divulgando o tema “Qualidade de vida ao nosso alcance: Escolhas saudáveis para prevenir o câncer” para marcar a data de 4 de fevereiro, Dia Mundial do Câncer.

A mudança de hábitos incentivada pela campanha, como optar pelo consumo de alimentos naturais, cessar o tabagismo, praticar atividades físicas regularmente, evitar exposição ao sol e substâncias cancerígenas e limitar o consumo de bebidas alcóolicas, é fundamental na prevenção do câncer.

Em entrevista, o nutricionista Fábio Gomes, do Inca, ressaltou as possibilidade de escolhas saudáveis na alimentação e deu dicas de como prevenir o câncer.
Confira:

– Qualquer tipo de câncer pode ser prevenido por meio da alimentação?

Fábio Gomes: Por enquanto, a gente sabe de alguns. São muitos tipos de cânceres diferentes e o que sabemos é que alguns estão relacionados com a alimentação. O que não significa que os outros que não foram estudados não estejam relacionados, mas eles ainda não foram estudados. Ainda há poucos estudos que relacionam o câncer cerebral, por exemplo. A alimentação está relacionada com a maior carga e volume de casos de cânceres no Brasil.

– De que forma a alimentação atua tanto na prevenção quanto para o aumento do risco de câncer?

Fábio Gomes: Há evidências muito claras de que carnes processadas e embutidas, como salsicha, linguiça, mortadela, blanquet de peru, que as pessoas veem como mais saudável, têm conservantes que, quando entram em contato com nosso suco digestivo no estômago, são transformadas em compostos cancerígenos e podem provocar modificações nas células do estômago e do intestino e fazem com que essas células se tornem células percussoras de câncer.

Além disso, a forma de preparar as carnes também pode influenciar. Independente do tipo de carne, quando você frita ou põe ela em uma chapa ou grelha em altíssimas temperaturas, também há a formação de compostos cancerígenos que aumentam os riscos de câncer. Quando as pessoas vão comer carne, peixe ou frango, que comam de forma cozida ou assada no forno.

O sal também é um fator de risco, principalmente para câncer de estômago. Desta forma, há uma associação de risco para outros alimentos, como os industrializados, que, em geral, são adicionados de muito sal para durarem mais. O consumo excessivo de alimentos industrializados vai aumentar o risco de câncer, tanto pelo excesso de sal, mas, também, por aumentar o risco do desenvolvimento de obesidade.

– Como seria um prato ideal e saudável?

Fábio Gomes: O prato varia muito de região para região, mas, como recomendação geral, a combinação do arroz e feijão tradicional ajuda muito.

Se a gente tiver metade do nosso prato com legumes e verduras e ¼ de arroz com feijão e outro ¼ de alguma carne, peixe ou frango, de preferência o peixe, que é o prato básico encontrado na alimentação brasileira, a gente estaria se alimentando muito bem.

O segredo é valorizar mais os alimentos de origem vegetal, menos os de origem animal e tirar do nosso dia a dia o máximo que a gente puder de alimentos industrializados, que são prontos para consumo ou prontos para aquecer.

Fonte: Portal Brasil.

Comente!!

Compre aqui

Indicamos

Receba nossas informações:


Nome:



Email: