Vida Sustentável

Vida Sustentável

Vida Sustentável RSS Feed
 
 
 
 

Biomassa de Banana Verde melhora a imunidade e diminui o risco de câncer

Final de semana
e você quer cuidar
melhor da sua saúde.

Pois é, ter uma boa alimentação é fundamental para isso.

Então, olha só essa dica fantástica que nós, do blog Vida Sustentável, preparamos.

Biomassa de Banana Verde
Sim, é uma massa homogênea, feita a partir da banana verde cozida.
A banana verde você encontra nas feiras de alimentos.
Mas prefira sempre as feiras com produtos orgânicos.
Eles são mais saudáveis e preservam melhor os nutrientes, além de cuidar do meio ambiente e da nossa saúde. Vários estudos mostram isso.

Pois bem, a Biomassa de Banana Verde é muito legal, já que ela possui quantidades significativas de um amido resistente, uma espécie de fibra que o aparelho digestivo não consegue digerir. Como esse tipo de fibra não é digerida, ela serve de alimento para as bactérias benéficas do intestino contribuindo para o desenvolvimento da microbiota intestinal.
Dessa forma, a imunidade melhora, reduzindo-se o risco de câncer no intestino.

Entre as muitas outras vantagens que possui, é rica em vitaminas A e do complexo B, além de possuir fósforo, magnésio e potássio. Isso facilita a perda de peso rápida e saudável.

Quer outro benefício demolidor?
A fibra da biomassa de banana verde também previne o diabetes tipo 2 e melhora o trânsito intestinal.


Você pode encontrar
nas lojas de produtos naturais
ou fazer em casa.

Quer aprender a fazer?
É bem fácil.

Use 4 bananas verdes, de preferência orgânicas.
Separe as bananas
Ainda com casca, lave-as bem.
Em uma panela de pressão, deixe ferver por 8 a 10 minutos.
Após desligar o fogo, deixe na panela fechada, mais 15 a 20 minutos.
Retire as bananas da panela, deixe esfriar um pouco e bata no liquidificador ou processador.
Você pode deixar a casca ou tirar. A casca possui muitos nutrientes saudáveis,
Pronto, agora é só guarda na geladeira.

Uma dica legal para mantê-la em condições de uso por mais tempo: faça pequena bolinhas e congele.

Fica ótima para usar em pães, bolos, mousses, vitaminas, etc.

Orgânicos fecham primeiro trimestre com exportação de quase três milhões de dólares

O desempenho dos negócios do grupo de empresas associadas ao Projeto Organics Brasil no primeiro trimestre de 2016 nas feiras – Biofach Nuremberg (Alemanha) e Expo West (Estados Unidos) – foi bastante positivo. Foram fechados negócios na ordem de US$ 2.945.000,00, a maioria exportação para a Comunidade Europeia, como: Alemanha, Holanda, Bélgica e Itália; além dos Estados Unidos e Canadá.

A expectativa de negócios futuros, para os próximos 12 meses, também foi significativo com interesses alinhados com mais de 35 países. Só na Biofach Nuremberg, os negócios chegaram em US$ 22,4 milhões com os países europeus e abertura de novos mercados: Emirados Árabes, Coreia do Sul, Egito, Austrália e Nova Zelândia. No mercado norte americano a expectativa é de que se chegue a US$ 3 milhões, com empresas nacionais fazendo lançamentos de produtos com a marca Brasil.

Em geral, o estande do Brasil nas duas feiras esteve sempre movimentado: “Na Biofach, recebemos a visita de representantes de mais de 30 países, com o total de 700 contatos realizados pelas empresas expositoras, principalmente dos países: Alemanha, Itália, Reino Unido, Holanda, França, Espanha, Estados Unidos, Coreia do Sul e Canadá. Já na Califórnia, o foco de negócios das empresas nacionais foi entrar com marcas próprias no maior mercado de orgânicos do mundo, estimado em mais de US$ 40 bilhões”, comenta Ming Liu, coordenador executivo do Organics Brasil.

O Brasil já é conhecido pelo açúcar, castanhas, frutas e outros ingredientes que faz do país um importante fornecedor de matéria prima. Agora, as empresas nacionais começam a colocar suas marcas próprias, já consolidadas no mercado interno, como a Native, introduzindo a linha de sucos, a Bio2 com barra de frutas. Empresas novas como: a Organique, com bebida energética; e a Petruz, com a linha de açaí junto a linha de franquia com máquinas de smoothie em pontos de venda lançadas nos Estados Unidos.

Sobre Organics Brasil – O Projeto Organics Brasil (www.organicsbrasil.org) é o resultado de uma ação conjunta da iniciativa privada com o IPD (Instituto de Promoção do Desenvolvimento) e da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), compondo uma sólida base institucional criada para fortalecer o setor brasileiro de orgânicos e viabilizar sua expansão no mercado internacional.

Fonte: Brazil Export.

Projeto quer tornar zona rural de Porto Alegre exclusiva para produção de orgânicos

Vai voltar à Câmara de Vereadores a ideia de fazer da  zona rural de Porto Alegre um “território livre de agrotóxicos e transgênicos”, produzindo apenas alimentos orgânicos.

A proposta é da Agapan, a pioneira do movimento ambiental, e já resultou num projeto do vereador Comassetto, do PT.

Foi apresentada em setembro de 2015 e derrotada por cinco votos.

“Por dificuldade de mobilização, acabamos derrotados”, diz o vereador.

Esperando que corrigir esta falha, Comasseto apresentará novamente a proposta.

Um texto para discussão já está circulando e será tema de uma reunião no dia 14 de março, a partir das 11 horas na Câmara de Vereadores.

Na mesma data e local a Agapan falará na Tribuna Popular sobre a situação das árvores de Porto Alegre.

Fonte: Jornal Já.

Pesquisas em agroecologia e produção orgânica receberão R$ 4 milhões

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) abriram chamada pública para conceder apoio financeiro a atividades de extensão, pesquisa e educação relacionadas à agroecologia e a sistemas orgânicos de produção.

Os aportes disponíveis para propostas aprovadas totalizam R$ 4,07 milhões, sendo R$ 2,6 milhões destinados ao pagamento de bolsas e R$ 1,4 milhão ao custeio das pesquisas. Cada projeto terá valor máximo de financiamento de R$ 100 mil.

A chamada pública tem como público-alvo estudantes do ensino básico, técnico e tecnológico; agricultores familiares; produtores em transição agroecológica ou envolvidos com a produção orgânica ou de base agroecológica; além de professores de instituições de ensino da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e agentes de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater).

Os projetos inscritos devem integrar atividades de extensão tecnológica, pesquisa científica e educação profissional para construção e socialização de conhecimentos e técnicas relacionados à agroecologia e aos sistemas orgânicos de produção. O edital prevê também a implantação ou manutenção de núcleos de estudo em agroecologia e produção orgânica.

Resultado
O resultado da seleção deverá ser divulgado a partir de 12 de julho, no Diário Oficial da União e na página do CNPq na internet. Os interessados devem enviar suas propostas até 12 de maio deste ano.

A última chamada pública do Mapa e do CNPq ocorreu em 2014 e foi voltada à pesquisa em sementes, adubos verdes e boas práticas de extrativismo. Com investimento de R$ 6,8 milhões, o edital selecionou 23 projetos, que resultaram no apoio a 119 núcleos.

O Mapa estima que, até o momento, os estudos beneficiaram mais de 125 mil pessoas (técnicos, agricultores e estudantes) e viabilizaram mais de 1,7 mil produções acadêmicas.

Fonte: Portal Brasil.

Alimentos que atuam na preveção do câncer

Para muitas pessoas, ter ou não um câncer é uma questão de destino. Será? Um estudo publicado na edição de dezembro de 2011 do British Journal of Cancer apontou que 45% dos casos de câncer em homens e 40% dos casos de câncer em mulheres poderiam ser evitados com a adoção de hábitos de vida saudáveis. Dentre esses hábitos, um que se destaca é a alimentação. De acordo com a nutricionista Priscila Cheung, do Centro Paulista de Oncologia (CPO), uma dieta equilibrada previne não só o desenvolvimento de um câncer, mas de outras inúmeras enfermidades. “Alguns alimentos, entretanto, apresentam destaque quando o assunto é combater a multiplicação de células doentes”, afirma. Confira quais são eles:

Brócolis
Um estudo publicado na revista Molecular Nutrition & Food Research já comprovou a atuação dos brócolis na prevenção do câncer. “Graças a diversos compostos, como o fitoquímico sulforafano, eles têm a capacidade de destruir células cancerígenas e deixar as demais intactas”, explica a nutróloga Tarama Mazaracki, da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). Na pesquisa, homens com câncer de próstata que consumiram o vegetal apresentaram inibição de determinada enzima que também é alvo de medicamentos para tratamento da doença. Resultados similares também puderam ser vistos em mulheres com câncer de mama, em estudo divulgado na reunião anual da American Association for Cancer Research.

Chá verde
Queridinho de quem está de dieta, o chá verde não ganha destaque somente por acelerar o metabolismo e evitar a formação de coágulos nas artérias. “A bebida também é rica em antioxidantes, que atuam na prevenção do câncer”, explica o nutrólogo Roberto Navarro, da ABRAN. Isso é o que mostra um estudo divulgado pela Cancer Prevention Research que acompanhou a progressão do câncer de próstata em homens que passaram a tomar cápsulas de uma substância encontrada no chá. Outra pesquisa, da Chun Shan Medical University, em Taiwan, ainda destacou importante atuação do chá verde contra o câncer de pulmão. Segundo ela, uma única xícara por dia reduz em 13 vezes o risco de fumantes desenvolverem a doença.

Alho e cebola
“Alho e cebola pertencem a um mesmo gênero de alimentos que são fonte de determinado fitoquímico envolvido na capacidade de excreção de compostos carcinogênicos”, aponta a nutricionista Priscila. Em outras palavras, esses alimentos auxiliam na eliminação de toxinas que favorecem o desenvolvimento de doenças degenerativas, como o câncer. Um estudo publicado no International Journal of Cancer aponta para redução do risco de câncer de intestino, enquanto que uma pesquisa divulgada pelo Epidemiology Biomarkers & Prevention relacionou o consumo dos alimentos a menor probabilidade de câncer de pâncreas.

Tomate
Muitas pessoas associam o tomate à prevenção do câncer de próstata. Não é à toa: o alimento é fonte de licopeno, carotenoide que confere alto grau de proteção contra a oxidação celular, explica a nutricionista Priscila. Segundo ela, é preferível comer o tomate após o aquecimento e acompanhado de uma gordura, como o azeite, para facilitar a absorção da substância pelo organismo. Molho de tomate, portanto, é a melhor escolha para obter o nutriente. Tais benefícios foram comprovados por inúmeros estudos. Entre eles, um publicado no British Journal of Nutrition e conduzido por especialistas da University of Portsmouth, no Reino Unido.

Cenoura
“A cenoura contém uma substância chamada carotenoide, atuante no combate a radicais livres que, quando em excesso, levam a mutações celulares capazes de originar um câncer”, explica o nutrólogo Roberto. Tal ação se mostra eficaz principalmente na prevenção do câncer de mama, como mostra um estudo publicado no Journal of the National Cancer Institute que acompanhou mais de 6 mil mulheres. Acerola, abóbora e manga são outras boas fontes desse nutriente.

Uva
Fonte de polifenois, a casca e a semente da uva são outros bons aliados no combate aos efeitos dos radicais livres, aponta a nutróloga Tamara. Para prevenção do câncer, entretanto, não é recomendado obter o nutriente bebendo vinho, pois o álcool pode anular os efeitos anticancerígenos do alimento. Um estudo publicado no Cancer Prevention Research descobriu que o resveratrol aumenta a produção de uma enzima que destrói compostos orgânicos de estrogênio perigosos. Como esse tipo de câncer é hormono-dependente, o controle dos níveis de estrogênio é fundamental para impedir sua evolução.

Frutas vermelhas
Frutas vermelhas, como a framboesa e a amora, são ricas em antocianinas, fitonutrientes que retardam o crescimento de células pré-malignas e evitam a formação de novos vasos sanguíneos que poderiam estimular o crescimento de um tumor. Um estudo publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry mostrou que o consumo desses alimentos reduzir o risco de desenvolver câncer de boca, câncer de mama, câncer de cólon e câncer de próstata.

Fonte: Minha Vida

Corantes causam câncer – Saiba quais alimentos você deve parar de dar aos seus filhos imediatamente

Balas, doces, massas, iogurtes, bebidas, carnes…
É cada vez mais comum encontrarmos alimentos que levam corantes artificiais.
Os motivos são os mesmos: dar mais sabor, melhorar a aparência e estimular o apetite do consumidor.

Países mais conscientes, como Áustria e Noruega, proibiram o uso de corantes artificiais em alimentos e ainda exigiram uma etiqueta de advertência para os alimentos que contêm ingredientes sintéticos.

Já na Grã-Bretanha, o alerta aparece nos rótulos, expondo os riscos que as crianças que consomem alimentos com corante correm.

Um exemplo é o comportamento hiperativo e o transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH).

Mas até onde esses alimentos são perigosos?

Para este post, trouxemos quatro motivos pelos quais você deve evitar o consumo de corantes artificiais.

1. São feitos de petróleo

Dá para acreditar nisso?

Alguns corantes “comestíveis” vêm de uma fonte de combustível, o petróleo – que, mesmo consumido em pequena quantidade, não é nada saudável.

Ah, vamos mais além: saiba também que muitas bebidas energéticas e outras populares, como refrigerante e misturas em pó contêm corantes derivados do petróleo.

As balas doces e coloridas que encantam tanto as crianças também levam esses corantes.

2. São cancerígenos

Só para você ter ideia, os corantes vermelho 40 e amarelo 5 e 6 contêm benzeno, que é cancerígeno.

Embora a maioria dos países proíbam o uso de alimentos que tenham benzeno, as empresas americanas continuam comercializando livremente os corantes vermelhos e amarelos em muitos alimentos (como as balinhas vermelhas e amarelas de certas marcas bem famosas).

Até alguns macarrões e queijos processado são tingidos de corante amarelo  6, a fim de obter aquela cor chamativa na comida.

Mas o câncer não é a única ameaça.

Estudos ligam o consumo de corantes artificiais a diversos problemas de saúde, como:

– Reações alérgicas

– Obesidade

– Asma

– Diabetes

– Danos cromossômicos

– Hipoglicemia

– Danos em órgãos

– Defeitos de nascença​

3. Provocam hiperatividade nas crianças

Muitos estudos foram feitos até que fosse comprovada a relação entre crianças hiperativas e o consumo de corantes artificiais.

Na Austrália, uma pesquisa feita com 200 crianças mostrou que 75% delas tiveram melhoria no comportamento depois que tiraram os corantes da dieta.

Além disso, essas crianças tiveram mais concentração nas atividades diárias.

4. Estrogênio

Corantes amarelo 6 e tartrazina têm reações parecidas com o estrogênio no corpo humano.

Qual a consequência disso?

Algo muito ruim para a saúde.

Entenda: altos níveis de estrogênio, independentemente da fonte, podem contribuir para o desenvolvimento de câncer de mama e diminuir a quantidade de espermatozoides, por exemplo.

Para terminar, uma dica: sempre leia os rótulos.

Se na composição houver corantes artificiais, descarte, para o bem de sua saúde e de sua família, esse alimento.

Fonte: Tabloide.info.

Corrida Ecológica de Porto Alegre confirmada para 16 de abril 2016

Para a alegria dos amantes da corrida e da natureza a 3ª Corrida Ecológica de Porto Alegre já tem data marcada. A prova que vem encantando os corredores com seu belo percurso terá sua próxima edição no dia 16 de abril, a partir das 16h, e, claro, trará novamente consigo a Corridinha Ecológica Kids, fazendo a festa dos pequenos. Mais uma vez o evento acontece no Parque Gabriel Knijnik (Estrada Amapá, 2300, Bairro Nonoai, Porto Alegre – RS).

O parque possui uma grande área de preservação, com diversas espécies de fauna e flora, sendo possível também avistar o Morro do Osso e o Morro Teresópolis, uma das mais lindas paisagens da capital gaúcha.

Este ano a Corrida Ecológica de Porto Alegre tem como tema o ReciclaPOA, com o objetivo principal de sensibilizar a população para o descarte correto dos resíduos sólidos. Lançado pela Prefeitura de Porto Alegre, através do DMLU, em 07 de julho de 2015, a campanha tem como foco a ampliação da separação e o correto descarte dos resíduos.

Atualmente, cerca de 100 toneladas de recicláveis são recolhidas diariamente pelos caminhões da Coleta Seletiva e encaminhadas para as Uni-dades de Triagem, que empregam formalmente cerca de 800 pessoas. Se todos os porto-alegrenses separassem corretamente seus resíduos, aproximadamente 320 toneladas diárias estariam sendo encaminhadas para as UTs, gerando mais emprego, mais renda e reduzindo os impactos ao meio ambiente. Segundo os organizadores, a ideia principal é que os corredores, juntamente com as crianças, levem este conceito dos 3 Rs (Reduzir, Reciclar e Reutilizar) para casa e, desta forma, ajudem a cidade de Porto Alegre.


A corrida adulta terá distância de 6 km e 9 km, enquanto a Corridinha Ecológica Kids terá distâncias variadas, de acordo com a faixa etária. As inscrições do primeiro lote, com desconto, terão início no dia 25 de janeiro, estendendo-se até o dia 06 de março, e devem ser feitas em www.valedoesporte.com.br. Os inscritos terão direito a Kit do Atleta, composto por camiseta, número de peito e chip. A entrega dos kits acontecerá no dia 16 de abril, no local do evento, das 13h às 15h.

Os cinco primeiros colocados no geral, nos gêneros masculino e feminino, receberão troféus. Já os três primeiros nas faixas etárias (15 a 19 anos, 20 a 24 anos, 25 a 29 anos, 30 a 34 anos, 35 a 39 anos, 40 a 44 anos, 45 a 49 anos, 50 a 54 anos, 55 a 59 anos, 60 a 64 anos, 65 anos ou mais) receberão medalhas. Tanto no geral, quanto nas faixas etárias os vencedores poderão também receber outros prêmios. Todos os atletas inscritos que completarem a prova receberão medalha finisher. Além disso, as três maiores equipes em número de participantes terão direito a troféus, sendo possível ainda receber prêmio dos patrocinadores. As três maiores equipes receberam um Troféu alusivo ao evento.

A 3ª Corrida Ecológica de Porto Alegre e a 3ª Corridinha Ecológica Kids de Porto Alegre têm organização e arbitragem de LGOE Multieventos, contando com o apoio da Federação Gaúcha de Triathlon e da Prefeitura de Porto Alegre.

Fonte: Vale do Esporte.

Bons motivos para dar cor à alimentação com beterrabas

Dá cor, dá sabor e, acima de tudo, dá saúde. A beterraba é um dos alimentos chave de uma alimentação saudável e equilibrada. Dona de uma cor inconfundível, a beterraba é um dos alimentos com mais nutrientes, menos calorias e um vasto leque benefícios para a saúde.

Por cada cem gramas de beterraba, são fornecidas 40 kcal, um valor bastante aceitável face à quantidade de vitaminas e minerais que dispõe: vitamina C e B6, antioxidantes, ferro, sódio, potássio, magnésio, betaína, fibra dietética, diz o site World Healthiest Foods.

A beterraba é uma fonte nata de licopeno, um antioxidante que ajuda a manter a elasticidade da pele, deixando-a, também, protegida de agressões externas, como a exposição solar. Ainda a nível de antioxidantes, este alimento possui dois amigos do coração: os carotenoides e os flavonoides, ambos essenciais para uma boa saúde cardiovascular, assim como os nitratos, igualmente presentes.

As fibras existentes na beterraba ajudam, ainda, na redução dos níveis de colesterol mau (LDL), aumentando o bom (HDL) e exercem ainda um impacto positivo na regulação dos níveis de sangue, sendo um alimento importante para as pessoas com Diabetes tipo 2.

A betaína, a metionina e a beta-cianina que compõem a beterraba fazem deste alimento um dos mais ativos no processo de desintoxicação do sangue, deixando-o fluído e limpo de impurezas.

Segundo o site, o consumo deste tubérculo está associado a menores riscos de câncer, uma vez que se trata de um alimento que inibe a formação de células cancerígenas.

Os níveis de ferro fazem da beterraba um dos elementos obrigatórios para combater e tratar a anemia. Mas os seus benefícios vão ainda mais longe: previne a prisão de ventre, previne a demência, previne as inflamações, ajuda na perda de peso e fortalece o crescimento do cabelo.

Fonte: Notícia ao Minuto.

Ministério da Justiça multa empresas por esconder transgênicos de consumidor

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça, multou seis fabricantes de alimentos por não informar no rótulo dos produtos – com um T maiúsculo dentro de um triângulo amarelo – o uso de ingredientes transgênicos, como determina a legislação. A medida resulta de fiscalizações realizadas por Procons estaduais em 2010 e a decisão foi publicada no final de dezembro do ano passado. Somadas as multas chegam a quase R$ 3 milhões, mas as empresas ainda podem recorrer.

Análises laboratoriais comprovaram a presença de ingredientes geneticamente modificados nos produtos recolhidos em supermercados de várias localidades do país. As sanções variam de R$ 277,4 mil, no caso da empresa J. Macedo, fabricante da mistura para bolo sabor coco Dona Benta, a pouco mais de R$ 1 milhão, no caso da Bimbo do Brasil, fabricante do bolo sabor artificial de baunilha.

Para a Senacon, as empresas lesaram os consumidores de todo o país ao violar o direito a informação, liberdade de escolha e proteção contra práticas abusivas. Além das multas, foi recomendada a modificação dos rótulos, garantindo a informação adequada sobre o uso de produtos transgênicos.

Os outros produtos são: mistura para panqueca Salgatta Panqueca (Oetker); Biscoito recheado sabor morango Bono (Nestlé); salgadinho de trigo sabor bacon Baconzitos (Pepsico); e biscoito recheado Tortinha de Chocolate e Cereja (Adria).

A nutricionista e pesquisadora do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) Ana Paula Bortoletto, considera que essa decisão reforça o cumprimento da legislação que obriga a rotulagem de alimentos transgênicos. “Reitera o entendimento do Ministério da Justiça de que todos produtos que utilizam ingredientes transgênicos, independentemente da quantidade, devem trazer essa informação nos rótulos”, afirmou.

“Essas empresas devem pagar a multa e, principalmente, aquelas que não fizeram ainda, inserir a informação sobre a presença de transgênicos nos rótulos dos seus produtos o mais rápido possível”, completou Ana Paula.

O Idec mantém uma campanha pela permanência da obrigação de informar a população sobre a existência de ingredientes transgênicos em produtos alimentícios. Está em tramitação no Senado o Projeto de Lei (PL) nº 34/2015 – antigo PL 4.148/2008, de autoria do deputado federal Luiz Carlos Heinze (PP/RS) –, que prevê o fim do uso do símbolo T. A Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT) do Senado já aprovou parecer contrário ao projeto.

“Na prática, essa flexibilização significaria o fim da rotulagem de transgênicos para a maioria dos produtos que hoje já são rotulados”, defendeu a pesquisadora do Idec.

Fonte: Rede Brasil Atual/Folha Press.

Feiras de Orgânicos em Santos/SP crescem 25% em um ano

Foto: Isabela Carrari

As feiras de orgânicos da Secretaria de Meio Ambiente (Semam) caíram definitivamente no gosto do público. Em 2015 foram realizadas 35, um crescimento de 25% em relação a 2014 (28). Além do Jardim Botânico, Gonzaga e Pompéia, outras duas feiras surgiram, a pedido dos consumidores: a do Orquidário e a da Ponta da Praia (no Galpão da Igreja Nossa Senhora do Carmo, das 15h às 19h).

A feira da Ponta da Praia passará a acontecer mensalmente a partir de março. Já a do Orquidário será a primeira de 2016, em 9 de janeiro, das 9h às 13h. As feira de orgânicos, com venda direta dos agricultores, surgiram no início em 2011, no Jardim Botânico Chico Mendes. Elas passaram a ser mensais a partir de abril de 2013.

No início, eram dois produtores. Hoje, participam duas associações de agricultores. “Para nós, do Vale do Ribeira, as feiras em Santos já representam 70% das vendas”, afirma Breno de Almeida, presidente da Associação de Agricultores Orgânicos do Vale do Ribeira (AOVale), que reúne cerca de 30 produtores.

Além dos hortifrútis e produtos industrializados com selo de origem, a feira oferece receitas e degustações, além de apresentações musicais, tai chi chuan, sessões de massagem rápida, feira de trocas, venda de artesanato e produtos ecológicos.

Serviço

=> 1º domingo do mês – Jardim Botânico Chico Mendes (Rua João Fracarolli s/nº, Bom Retiro – das 9h às 13h)
=> 1º sábado – Orquidário (Praça Washington s/nº, José Menino, das 9h às 13h)
=> 3º domingo – Escola Leonor Mendes de Barros, (Praça Fernandes Pacheco s/nº, Gonzaga – das 9h às 13h)
=> 2ª terça-feira (*) – Ponta da Praia (Galpão da Igreja Nossa Senhora do Carmo, Rua Egydio Martins, 182 – das 15h às 19h)
=> Última terça-feira do mês – Igreja da Pompéia (Praça Benedito Calixto,1, com acesso pela Rua Ceará – das 15h às 19h)

(*) A partir de março/2016.

Fonte: Prefeitura Municipal de Santos/SP.

Indicamos

Receba nossas informações:

Nome:



Email: